Resenha combo livro e filme# 50 tons de cinza



Se teve um filme que levantou várias discussões esse ano foi: 50 tons de cinza. Baseado no romance homônimo de E. L. James, ele conta a história de Anastacia, que se apaixona pelo o cobiçado e intimidador Bilionário Christian Grey.








Ela é introvertida, gosta de ler, leva uma vida comum de estudante de literatura que trabalha em um lojinha qualquer para se manter. Em um trabalho de faculdade ela vai substituir sua amiga e acaba o conhecendo. Imediatamente os dois sentem atração pelo o outro e dá-se início a um jogo de sedução.




                                                       


Durante a análise vou citar alguns dos comentários mais comuns que eu vi sobre a história:




" Como pode uma mulher de 21 anos ser virgem e ingênua
?"

Sim, existem pessoas virgens de 21 anos e ingênuas sexualmente em pleno século XXI. Jura que não sabia
?


Eu li o livro e realmente detestei. (Opinião pessoal) Não a história, mas a forma que foi contada. A escrita da autora é pobre, infantil, repetitiva e não tem nada a nos acrescentar. Ela foi capaz de escrever frases do estilo:





“…Sinto aquela tesão dentro de mim. Músculos com os quais agora já estou mais familiarizada se contraem diante dessas palavras. Mas não posso aceitar isso. Sua arma mais potente usada de novo contra mim. Ele é muito bom com sexo – até eu já entendi isso.”


Sinceramente, isso excita
?



Olha esse trecho:

"Isso me pega de surpresa, e, por estar com as mãos atadas, tenho que me apoiar nos cotovelos. Ele empurra meus dois joelhos cama acima, me deixando de quatro, e me dá uma palmada forte. Antes que eu possa reagir, ele me penetra. Grito - por causa da palmada e da súbita investida dele, e gozo na mesma hora e torno a gozar de novo e de novo, desmontando embaixo dele enquanto ele continua a me penetrar deliciosamente.

Ele não para. Estou exausta. Não aguento mais... e ele não para de meter... estou ficando excitada de novo... claro que não... não...

- Goza para mim, Anastasia, de novo - grunhe ele entre dentes, e, incrivelmente, meu corpo responde, estremecendo enquanto tenho outro orgasmo, gritando o nome dele. Torno a me estilhaçar em mil pedaços, e Christian para, finalmente se deixando ir, gozando calado. Ele desaba em cima de mim, ofegando."




Que grande feito! Ele conseguiu fazer ela gozar várias vezes!


"Nesse livro não acontece nada, só tem os dois e pronto."




Bom esta história tem uma trama só mas isso não é o ponto negativo. Existe vários livros que só tem um foco como: "A culpa é das estrelas" e "Se Eu Ficar". Problema não é a ausência de conflitos. É que as situações ali apresentadas são cliquês demais e extremamente previsíveis.




A mulher sem graça que apaixona perdidamente por um Bilionário poderoso com desejos peculiares.




Christian é praticante de BDSM gosta de ter o controle sobre tudo. Ele se interessa por Ana e lhe oferece um contrato no qual ela vai ter uma vida de princesa em troca de sua liberdade. Ele quer controlar tudo nela: onde mora, onde vai e até o que bebe. Ah! O principal: Ela só vai ter relações sexuais exclusivamente com ele e vai ser a sua escrava sexual.




Aos poucos você percebe que o jeito de Ana vai fazendo com que Christian mude alguns aspectos como: sair para passear e dormir na mesma cama. Algo que ele não fazia com as outras escravas.




É claro que eles são apaixonados um pelo o outro, mas ele tem traumas e segredos que geram um bloqueio a relacionamentos, fazendo com que não aceite a ter um namoro comum. Isso faz com que ele use todos os seus artifícios (beleza e dinheiro) para convencê-la a assinar o tal contrato.



O Filme





                                      



Dirigido por Sam Taylor-Johnson ele conta com os ainda não conhecidos Jamie Dornan (Christian) e Dakota Johnson (Anastacia).



As atuações não deixam nada a desejar, afinal o enredo não exige muito dos atores. O ambiente começa frio e calculista, com pessoas e seus diálogos robóticos. A medida que o casal vai se conhecendo tudo ganha naturalidade.

A direção merece um elogio, pois não tornou o filme cansativo e soube fazer a transição das cenas com agilidade. As cenas aéreas e a fotografia merecem um destaque.


As cenas de sexo foram amenizadas, mas nem por isso deixaram de ser sensuais. O roteiro deu um "up" no livro, conseguiu retirar o máximo de frases ridículas possíveis (ainda tem, só que em menor quantidade).



Mas isso foi mérito dos produtores que decidiram criar um filme BDSM mais elegante, erótico para atingir um público maior.



                      


Normalmente quem amou livro, detestou a adaptação porque excluiu muita sacanagem (ao meu ver desnecessárias).


Ponto Negativo







Como o filme é baseado no livro e teve um pouco de influência da E.L. James no roteiro continua sendo uma história comum e sem nada de realmente inovador. O BDSM acabou sendo o adicional para atrair telespectadores, porém existem produções do gênero infinitamente melhores.




A mídia adora vender esteriótipos, assim como Crespúsculo (essa série de livro foi inspirada nessa saga) as autoras criaram o homem perfeito para aquelas pessoas que fogem de sua realidade em busca de um príncipe inalcançável. A primeira nos vende um vampirinho perfeito que ama e respeita a sua donzela. E a segunda vende um cara gostosão, podre de rico e ótimo de cama, capaz de fazê-la gozar infinitas vezes.



Ponto Positivo




Se você quer tirar algo de positivo daqui eu posso te apontar um: o respeito. Ana não fez nada obrigada, tudo que ela sofreu e aceitou passar foi lhe oferecido. É claro que este início de "relacionamento" é um tanto doentio. Ela queria experimentar novas sensações e ele queria uma nova mulher para ser submissa. Porém, a medida que vai surgindo a confusão de sentimentos dos dois, vai acontecendo uma negociação e eles vão começando a entender o fetiche de cada um. O desfecho mostra exatamente o que ela pode surportar e o que ela realmente busca. Esse filme acaba sendo um convite aos casais para aprenderem a negociar na cama e se dedicar a oferecer prazer mútuo.
                                   



                            





Para encerrar gostaria de deixar abaixo, a trilha do filme que é o seu grande ponto forte:



Annie Lennox - I Put A Spell On You


Laura Welsh - Undiscovered





The weeknd - Earned It




Jessie Ware - Meet Me In the Middle
 


Ellie Goulding - Love Me Like You Do
 


Haunted - Beyoncé




Sia - Salted Wound




The Rolling Stones - Beast of Burden


Awolnation - I'm On Fire





Beyonce - Crazy In Love







Frank Sinatra - Witchcraft 





The Weeknd - Where You Belong
 






Skylar Grey - I Know You




Danny Elfman - Ana and Christian
 



Danny Elfman - Did That Hurt? 

Comentários

  1. Olá!
    Sabe que eu ainda não li os livros? E tenho vontade, mas é mais por curiosidade para ver se concordo com quem fala mal ou quem gosta. hahaha
    Estou curiosa para assistir o filme também, pelo que você falou transformaram ele em algo mais agradável de certo modo, se for comparar com o livro, né?
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também li por causa da repercussão, esse livro foi muito comentado e foi exatamente essa a minha a opinião. Obrigado pela a visita.
      beijos

      Excluir
  2. Oi Beto...
    Eu comecei a ler o livro, mas parei porque me deu uma tremenda de uma preguiça..rs
    Mas vou ver o filme.
    As opiniões são bem divididas mesmo.. enquanto alguns amam, outros detestam.
    Também adorei as trilhas para o filme, ficaram ótimas.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. foi uma tortura ler o livro, o filme também não é nada extraordinário sobraram as trilhas para nos consolar kkkk
    beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Malévola

Resenha: O Poder dos Quietos - Susan Cain

Semana da Mulher #1 Beyoncé - If I Were A Boy